Menu Blog

O isolamento social tem sido um grande desafio para todas as camadas da sociedade e faixas etárias no mundo todo. Os idosos, no entanto, foram um dos mais afetados pela medida. Por serem do grupo de risco, tanto pela idade quanto por comorbidades, foram obrigados a viver isolados do convívio social familiar e restringir atividades cotidianas, como ir ao supermercado, padaria etc.

Pesquisadores da Universidade de Chicago descobriram que o isolamento pode aumentar o risco de morte em 14% nas faixas etárias mais avançadas. Isso porque a solidão pode gerar no organismo uma reação de “luta”, desencadeada por situações de grande estresse. Esse mecanismo induz respostas inflamatórias, que reduzem a produção de leucócitos, células responsáveis por defender o organismo de uma infecção, diminuindo a resposta imunológica dos indivíduos.

Segundo outro estudo, feito na Universidade de York, a solidão e o isolamento social podem aumentar o risco de doenças cardíacas em 29% e o de acidentes vasculares em até 32%. No caso dos idosos, o aumento da pressão e dos níveis de colesterol, a diminuição da capacidade cognitiva e, por consequência, a perda acentuada de memória, ocasionados pelo agravamento de quadros depressivos, são potencializados pela sensação de abandono e solidão gerados pela quarentena.

A mudança radical no estilo de vida imposto pela pandemia está piorando quadros demenciais e gerando outros distúrbios mentais, como síndrome do pânico, transtorno obsessivo compulsivo, insônia etc. Além disso, tratamentos de doenças crônicas, terapias, psicoterapias tiveram que ser cancelados.

Para minimizar os efeitos da quarentena, algumas sugestões podem ser benéficas para a melhoria da qualidade de vida dos idosos.

Confira:

 

Na maioria dos casos, no entanto, os idosos não se alimentam bem nem conseguem absorver todos os nutrientes provenientes dos alimentos. Por isso, na presença de quadros de depressão, perda cognitiva e memória, é necessário tomar medidas mais eficazes.

Recomenda-se o uso de alguns suplementos com vitaminas do complexo B, como a B12, B1 e B5, que melhoram os impulsos nervosos e a proteção dos neurônios. As vitaminas C e E, por sua vez, são poderosos antioxidantes e auxiliam no fortalecimento do sistema imune.

O ômega 3 também é fundamental para a saúde. Entre as suas funções mais importantes, estão a diminuição do colesterol ruim (LDL), a proteção cardiovascular e o fornecimento de energia ao neurônio e aos impulsos nervosos. Assim, a cognição é aprimorada, auxiliando na prevenção de doenças neurodegenerativas como o Alzheimer.

O óleo de semente de uva é rico em resveratrol, um poderoso antioxidante e anti-inflamatório. E o triptofano é o aminoácido do bem-estar, combatendo os sintomas de depressão e ansiedade e proporcionando melhor qualidade do sono.

O ALZ Protect tem todos esses nutrientes, além de outras vitaminas e minerais que auxiliam na neuroproteção e na melhora da imunidade e de processos inflamatórios. Consulte um médico, nutricionista ou farmacêutico para saber mais.

Gostou do post? Compartilhe

Leia também

Carregando Ambiente Seguro